ENGENHARIA DE SEGURANÇA DO TRABALHO – A IMPORTÂNCIA DA GESTÃO EFICIENTE

engenharia-de-seguranca-do-trabalho

ENGENHARIA DE SEGURANÇA DO TRABALHO – A IMPORTÂNCIA DA GESTÃO EFICIENTE

ENGEPLAN CONSULTORIA, sempre atenta à Legislação e Normas Técnicas

 

No Brasil, a segurança e saúde ocupacionais são regulamentadas na forma do Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho (SESMT). Este serviço está previsto na legislação trabalhista brasileira e regulamentado pela portaria nº 3.214 de 08 de junho de 1978, considerando o disposto no art. 200, da CLT, com redação dada pela Lei n.º 6.514, de 22 de dezembro de 1977 do Ministério do Trabalho e Emprego, por intermédio da Norma Regulamentadora nº 4 (NR-4) e as normas da ABNT referentes a segurança no trabalho.

Destacam-se entre as principais atividades da segurança do trabalho, o que aqui podemos elencar de PPPP, ou seja, a) Prevenção de acidentes; b) Promoção da saúde; c) Prevenção de incêndios; e d) Promoção de treinamentos.

 

Por que investir em segurança do trabalho?

 

Além de ser uma exigência legal, a implementação de normas relativas à segurança do trabalho aumenta a produtividade das empresas, uma vez que os afastamentos e os custos decorrentes de acidentes e doenças ocupacionais apresentam significativas reduções. Além disso, uma empresa que demonstra preocupação com a segurança de seus colaboradores contribui para a promoção de bem-estar tanto físico quanto emocional, sem falar no aumento da motivação dos trabalhadores no desempenho de suas funções.

Vale ressaltar também que o cumprimento das normas de segurança reflete a idoneidade da empresa, aumentando sua credibilidade diante dos trabalhadores, fornecedores e clientes.

 

Como minimizar os custos com os acidentes e doenças do Trabalho?

 

A melhor maneira de minimizar os custos da empresa é investir na prevenção. Portanto, nosso intuito ao redigir este texto é orientar aos empresários e empreendedores para que adotem e contemplem no planejamento estratégico de suas organizações,  investimentos em equipamentos de proteção individual e coletiva, e que contratem consultores profissionais na área de segurança do trabalho, e jamais abram mão de suas obrigações e prerrogativas no tocante às medidas preventivas e preditivas quanto à segurança em suas respectivas plantas.

 

O acidente de trabalho deve ser evitado, haja vista que traz inúmeros prejuízos à empresa ou empreendimento. E o pior prejuízo não é o material e sim o pessoal, pois é impossível calcular o valor de uma vida, ou de várias vidas conforme temos visto com certa frequência nos acidentes e tragédias que têm acontecido, não só no Brasil como em vários países do mundo.

 

O acidente gera uma série de encargos e gastos com defesa judicial, perda de tempo, danos morais e materiais, dentre outras avenças na esfera jurídica, técnica e admistrativa, e consequentemente na produtividade e sustentabilidade da empresa, além de criar falta de credibilidade na gestão eficiente e holística do ponto de vista empresarial e acima de tudo social.

 

Quando o assunto é Engenharia de Segurança do Trabalho, o empresário ou empreendedor que é conhecedor da legislação, visando custo/benefício e otimização do processo como um todo, e que já tenha foco na gestão empreendedora fundamentada em bases holísticas, preocupar-se-á com o bem-estar, integridade física e qualidade de vida de seus funcionários, colaboradores, fornecedores e clientes, bem como zelar pela importância social, econômica e credibilidade de sua organização empresarial e mercadológica.

Assim sendo, é importante e necessário a contratação de consultoria especializada,  composta por profissionais devidamente habilitados e que tenham experiência e capacidade técnica devidamente atestadas e comprovadas para elaboração de um Plano de Contingência ou Planejamento Estratégico no qual fiquem definidos e incorporados todos os aspectos relacionados à segurança do trabalho e patrimonial, planos estes que podem e devem ser inseridos no CÓDIGO DE CONDUTA da empresa ou organização para que todos conheçam a transparência e metodologia de trabalho da mesma quanto a princípios e pilares de sua sustentabilidade socioeconômica e espacial.

 

A seguir alguns exemplos de metodologia a ser adotada pelo CONSULTOR de Engenharia de Segurança do Trabalho: 

 

  • Assessorar empresas industriais e de outros gêneros em assuntos relativos à segurança e higiene do trabalho, examinando locais e condições de trabalho quanto à salubridade, conforto ambiental, ergonomia, etc.;
  • Avaliar as instalações em geral quanto aos aspectos físicos, estruturais, materiais, métodos e processos de fabricação adotados pelo trabalhador, para determinar as necessidades dessas empresas no campo da prevenção de acidentes;
  • Inspecionar estabelecimentos fabris, comerciais e de outro gênero, verificando se existem riscos de incêndios, desmoronamentos ou outros perigos, para fornecer indicações quanto às precauções a serem tomadas;
  • Promover a aplicação de dispositivos especiais de segurança (EPIs), como óculos de proteção, cintos de segurança, vestuário especial, máscara e outros, determinando aspectos técnicos funcionais e demais características, para prevenir ou diminuir a possibilidade de acidentes;
  • Adaptar e capacitar os recursos técnicos e humanos, estudando a adequação da máquina ao homem e do homem à máquina, para proporcionar maior segurança ao trabalhador;
  • Executar campanhas educativas sobre prevenção de acidentes, organizando palestras e divulgações nos meios de comunicação, distribuindo publicações e outro material informativo, para conscientizar os trabalhadores e o público, em geral;
  • Estudar as ocupações encontradas num estabelecimento fabril, comercial ou de outro gênero, analisando suas características, para avaliar a insalubridade ou periculosidade de tarefas ou operações ligadas à execução do trabalho;
  • Realizar estudos sobre acidentes de trabalho e doenças profissionais, consultando técnicos de diversos campos, bibliografia especializada, visitando fábricas e outros estabelecimentos, para determinar as causas desses acidentes e elaborar recomendações de segurança;
  • Inspecionar locais, instalações e equipamentos da empresa, observando as condições de trabalho, para determinar fatores e riscos de acidentes;
  • Estabelecer normas e dispositivos de segurança, sugerindo eventuais modificações nos equipamentos e instalações e verificando sua observância, para prevenir acidentes;
  • Inspecionar os postos de combate a incêndios, examinando as mangueiras, hidrantes, extintores e equipamentos de proteção contra incêndios, para certificar-se de suas perfeitas condições de funcionamento;
  • Comunicar os resultados de suas inspeções, elaborando relatórios, para propor a reparação ou renovação do equipamento de extinção de incêndios e outras medidas de segurança;
  • Investigar acidentes ocorridos, examinando as condições da ocorrência, para identificar suas causas e propor as providências cabíveis;
  • Manter contatos com os serviços médico e social da empresa ou de outra instituição, utilizando os meios de comunicação oficiais, para facilitar o atendimento necessário aos acidentados;
  • Registrar irregularidades ocorridas, anotando-as em formulários próprios e elaborando estatísticas de acidentes, para obter subsídios destinados à melhoria das medidas de segurança;
  • Instruir os funcionários da empresa sobre normas de segurança, combate a incêndios e demais medidas de prevenção de acidentes, ministrando palestras e treinamento, para que possam agir acertadamente em casos de emergência;
  • Coordenar a publicação de matéria sobre segurança no trabalho, preparando instruções e orientando a confecção de cartazes e avisos, para divulgar e desenvolver hábitos de prevenção de acidentes;
  • Participar de reuniões sobre segurança no trabalho, fornecendo dados relativos ao assunto, apresentando sugestões e analisando a viabilidade de medidas de segurança propostas, para aperfeiçoar o sistema existente.

 

Nota Importante:

Artigo de autoria de MOTA, Hermilon Miranda. (09/03/2019)

Caso queira aproveitar o texto como um todo ou parte do mesmo, citar fonte de acordo com a Lei de Direitos Autorais e Normas da ABNT.

Fale com um de nossos especialistas!

Clique aqui